Glossário
A área de acessibilidades e mobilidade urbana reúne um vasto número de termos técnicos com os quais poderá não estar familiarizado. Compilámos alguns dos mais usuais, para lhe esclarecer todas as dúvidas. Para consultar a sua definição, por favor clique sobre o termo que pretende consultar.

elevadores

Acessibilidade
É a criação de condições que permitam o livre acesso de pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência física a locais com desníveis ou outras barreiras arquitetónicas. A criação de soluções de acessibilidade permite a igualdade no acesso aos espaços, através de meios que estejam alinhados em termos de segurança e conforto. O direito à acessibilidade é legislado e abrange a adaptação de todos os espaços públicos e privados.
Homelift

Sinónimo de elevador para casas, é um equipamento que permite a elevação de pessoas entre pisos. Pode ser instalado em qualquer moradia ou espaço público ou privado. Dadas as suas características e versatilidade, não é necessário a existência de uma casa de máquinas. 

Domuslift
É um dos modelos de elevador residencial disponibilizado pela Liftech. O Domuslift é um equipamento IGV que visa responder às necessidades de mobilidade vertical em edifícios públicos ou privados, proporcionando conforto para pessoas com condicionalismos físicos. O Domuslift está disponível numa grande variedade de acessórios e acabamentos de elevada qualidade, bem como em diversos tamanhos, sendo uma opção versátil, que se consegue adaptar a qualquer espaço. O equipamento permite alcançar até 7 pisos.
Elevador residencial
Este é sinónimo de homelift, sendo um equipamento que pelas suas características se adapta ao ambiente particular de um domicílio, tanto ao nível de acabamentos como de dimensões, mesmo em espaços muito limitados. 
Elevador hidráulico
É um elevador cujo movimento é garantido por meio de um pistão hidráulico. Este pistão é acionado por meio de uma central hidráulica, de reduzidas dimensões, que pode ser colocada em qualquer compartimento, mesmo afastada do elevador. Este tipo de elevadores apenas consome energia no movimento de subida (quando a central cria pressão no cilindro), uma vez que o movimento de descida se faz por gravidade.
Ascensor elétrico
É o tipo de elevador convencional com maior número de unidades instaladas. Este tipo de elevador é acionado por um motor elétrico, e pode existir com ou sem casa de máquinas. Pode ser concebido para utilização residencial ou comercial, e permite velocidades de funcionamento mais elevadas.
Diretiva máquinas
A diretiva de 2006/42/CE, de 17 de Maio ou comummente designada por “Diretiva Máquinas”  regulamenta as regras de segurança e requisitos para a colocação no mercado de máquinas, que devem ser cumpridas por parte dos fabricantes. Os equipamentos de acessibilidade, com exceção dos ascensores, são construídos ao abrigo desta diretiva. 
Elevador panorâmico
Este tipo de elevador possui uma cabina com paredes totalmente ou parcialmente em vidro, de forma a permitir a perfeita visualização dos espaços envolventes durante a utilização do equipamento. Tipicamente estes equipamentos são instalados em estruturas envidraçadas, também panorâmicas.
Elevador vertical
Equipamento que permite elevar, em altura, pessoas ou cargas.
Poço
Área da caixa do elevador que se situa abaixo do nível do piso inferior.
Classe de eficiência energética
É o código de classificação que permite ao utilizador ser informado sobre as principais características do equipamento, em termos de eficiência energética. Os equipamentos LIFTECH possuem classificação A+ ou superior.
Pé direito
Expressão utilizada para definir a distância entre pisos, ou seja, a diferença de cota entre o nível do pavimento de 2 pisos consecutivos.
Estrutura autoportante
Estrutura metálica que serve de caixa de circulação do elevador. Diz-se autoportante, porque assentando apenas o piso, sem necessidade de outros apoios, é capaz de suportar todas as forças em jogo associadas ao funcionamento do elevador.
Caixa do elevador
Local onde o elevador é instalado, zona de circulação da cabina. Esta caixa pode ser de alvenaria/betão ou pode ser em estrutura autoportante. As dimensões dependem do tamanho da cabina e do tipo de elevador a ser inserido no seu interior.
Portas de batente

Portas de patamar que permitem o acesso à cabina do elevador. São portas de abertura manual e fecho por meio de mola (também designadas de semiautomáticas). Podem ser cegas, com vidro panorâmico e podem ser fornecidas em alumínio ou aço. Podem ainda ser fornecidas em primário para acabamento pelo cliente (pintadas, forradas a madeira, etc.). 

Acionamento gearless
Tecnologia em que o acionamento do elevador é feito através de um motor síncrono de ímanes permanentes, sem caixa redutora. Este tipo de máquinas possui maior eficiência energética e produz menos ruido durante o funcionamento.
Elevador inclinado
Equipamento que permite o transporte de pessoas ou cargas em planos inclinados. Aplica-se tipicamente para vencer encostas de pequenos montes ou colinas, e a sua utilização pode ser privada ou comercial. São cada vez mais usados em soluções de mobilidade urbana.
Velocidade nominal

Valor da velocidade a que a cabina do elevador circula na caixa, após a aceleração inicial e antes da desaceleração para a paragem. É indicada em metros por segundo. 

Plataforma Cabinada / não cabinada
Parte do elevador, inserida no interior da caixa, onde viajam as pessoas ou carga. Pode ser cabinada, casos em que a plataforma é totalmente fechada ou não cabinada nos casos em que a mesma é aberta. 
Portas a 180º
Cabinas que possuem duas portas em lados opostos da cabina. Permitem que o acesso nuns pisos se faça por um lado da cabina, e noutros pelo lado oposto. 
Folhas
O termo “folhas” diz respeito ao número de painéis que uma porta de elevador pode ter.
Sistema de Resgate
É um sistema de segurança, com recurso a baterias, que permite, em caso de falha de energia, a manobra do equipamento até ao piso mais próximo, de modo a que seja possível a resgate de pessoas. 
Área útil da cabina
Espaço útil disponível n o interior da cabina para o transporte de pessoas ou carga. Este valor está diretamente relacionado com a capacidade de carga deste elevador.
Elevador homologado
Equipamento aprovado pelas entidades que regulamentam os ascensores.
Cabo de manobra
Cabo flexível elétrico que interliga os sinais do quadro de comando com a cabina do ascensor. Este cabo movimenta-se juntamente com a cabina. 
Contrapeso
O contrapeso é um componente existente nos elevadores elétricos, que consiste num conjunto de cargas metálicas ou de betão. Está ligado à cabina através dos cabos de tração, e tem a finalidade de fazer de contrapeso ao movimento da cabina, diminuindo a necessidade de potência elétrica para movimentar a cabina, reduzindo o consumo de energia.
Cabos de tração
Cabos de aço que, suspendem a cabina e que lhe transmitem o movimento.
Instalador
Entidade responsável pela instalação do elevador e certificação da mesma, em conformidade com as normas europeias em vigor.
Tele-emergência
Sistema obrigatório de segurança no interior do elevador, que permite a realização de uma chamada telefónica de emergência, para uma central de atendimento permanente, em caso de avaria no ascensor. Esta ação desencadeará o auxílio para o resgate das pessoas no interior da cabina. 
Manutenção preventiva
Por imperativo legal, os ascensores estão obrigados a possuir um contrato de manutenção preventiva com uma entidade com acreditação EMIE (empresas de manutenção e instalação de elevadores). A entidade que presta o serviço de manutenção é responsável pela verificação mensal do equipamento e pela realização das operações de manutenção que permitam manter o equipamento em funcionamento e em segurança.
Manutenção corretiva
Verificação e correção de anomalias que são detetadas, seja durante a manutenção preventiva, seja por avaria do equipamento.
Patamar
Zona de acesso ao elevador.
EMIEs
São as Empresas de manutenção e instalação de elevadores, designação atribuída pela Direção geral de energia e geologia. São as únicas empresas autorizadas a realizar as operações de manutenção de elevadores. 
Extra curso
Zona delimitada que se situa entre nível do solo do piso mais elevado e o teto do eixo da caixa do elevador. 

Plataformas elevatórias

Mobilidade condicionada
Este termo, também denominado de mobilidade reduzida, refere-se ao estado permanente ou temporário de um indivíduo portador de dificuldades de locomoção, seja por deficiência física, envelhecimento, acidente ou outra. Esta condição torna necessária a adaptação do meio envolvente, de forma a proporcionar a estes indivíduos capacidade de locomoção de forma o mais autónoma possível.
Plataformas elevatórias para deficientes
São uma das soluções de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida. Este tipo de equipamentos incluem plataformas horizontais de dimensão necessária para o transporte de cadeiras de rodas e as cadeiras de escadas, que auxiliam a ultrapassar degraus.  
Escada convertível em plataforma
Equipamento de acessibilidade desenhado para espaços muito reduzidos em que não existe a possibilidade de colocação de plataforma elevatória em escada normal. A escada convertível em plataforma é um equipamento com duplo propósito: funciona como uma normal escada para utilização comum, e quando necessário transforma-se numa plataforma elevatória com dimensão para transportar uma cadeira de rodas.
Plataforma vertical
Solução de acessibilidade para pessoas em cadeiras de rodas que permite ultrapassar pequenos desníveis até 2 metros. 
Plataforma de escada
É um equipamento de acessibilidade que se instala em escadas já existentes, que permite o transporte de pessoas em cadeira de rodas. 
Cadeira elevatória
Ou cadeira elevatória de escada é um equipamento composto por um assento que permite transportar pessoas com mobilidade condicionada, ao longo de uma escada. 
Cadeiras de escadas
Plataformas de elevação
Equipamentos de transporte vertical (plataformas elevatórias, cadeiras de escada e elevadores), que visam permitir a pessoas com mobilidade reduzida, a igualdade no acesso a locais com escadas ou pequenos desníveis. 
Cadeira reta (ver cadeira de escada reta)
Cadeira Elevatória para instalação em locais onde o curso da escada a ultrapassar seja retilíneo.
Cadeira com curva (cadeira de escada curva)
Cadeira Elevatória para instalação em locais onde o curso da escada a ultrapassar tenha uma ou mais curvas.
Acionamento a bateria
Funcionalidade das plataformas elevatórias ou cadeiras de escadas que permitem o funcionamento ininterrupto, mesmo em falhas de energia. Estas baterias são carregadas automaticamente. 
Assento regulável
Característica das cadeiras de escada que permite que o assento se adapte a utilizadores de diferentes estaturas.
Assento giratório
Funcionalidade das cadeiras de escada que permite a rotação do seu assento de modo a ocupar um espaço mais reduzido.
Rail rebatível
Funcionalidade do carril onde se move a plataforma elevatória ou cadeira de escada e que permite que parte deste sistema seja recolhido, automaticamente ou manualmente, dependendo do modelo instalado, para não barrar o acesso a outra área. Muito utilizado em espaços onde existem portas no final de uma escada.
Guardas
São aros de proteção metálicos, que têm como finalidade a segurança.
Sensores anti-entalamento
Componente de segurança que garante que nenhum objeto ou pessoa possa ficar entalada no equipamento. Logo que que os sensores anti-entalamento detetem um obstáculo o equipamento para de imediato.  
Piso nivelado
Característica que define o estado do chão em determinado espaço interior ou exterior, estando todo ele sem variações de altura. É uma característica necessária para a instalação dos equipamentos.
Desnível (mínimo/máximo)
O termo refere-se à diferença de nível entre o ponto de origem e o ponto de chegada da plataforma elevatória. 

monta cargas

Ascensor de carga
Sistema de transporte vertical para o transporte exclusivo de cargas não acompanhadas, ou seja, não homologados para transporte de pessoas.
Plataforma tesoura
Equipamento de elevação de cargas, de acionamento hidráulico do tipo tesoura. Possuem capacidade de carga até 2000kg.
Monta-autos
Equipamentos de elevação vertical de automóveis. Podem ser homologados para o transporte exclusivo de veículos ou de veículos e condutor.
Coluna dupla
Característica ténica dos elevadores monta-cargas de elevada capacidade de carga, que com recurso a um acionamento hidráulico composto por 2 pistões, permitem a elevação de cargas até aos 5000kg. 
Válvula de anti-rotura
Componente de segurança existente nos elevadores e monta cargas hidráulicos que, em caso de falha de pressão, impede o movimento da cabina ou da plataforma. 
Curso (máximo)
Desnível máximo que um equipamento pode percorrer.
Portas de batente
Tipo de porta manual que é integrada no monta-carga e que permite proteger o acesso à caixa do elevador durante o transporte.

Transportes por cabo

Declive
Grau de inclinação de um trajeto.
Teleférico bicabo
Tipo de teleférico de movimento vai e vem, com funcionamento sustentado por um cabo carril e um cabro de tração.
Movimento reversível
Característica que permite que o equipamento por cabo possa funcionar em ambos os sentidos, em movimento de vai e vem.   
Accionamento
Conjunto de componentes e subsistemas que compõem o grupo motriz da instalação.
Cabina
É o componente onde circulam os passageiros dos equipamentos de transporte por cabo.
Funicular
Sistema de transporte sobre carris, com 1 ou 2 cabinas, com diferentes capacidades de lotação, que funciona em movimento reversível. Adequado para médias e grandes distancias, com ou sem diferenças de declive e que permite curvas horizontais no traçado.
Teleférico
Sistema de transporte por cabo no qual cabinas circulam num plano elevado, suspensas por um cabo. Os cabos são sustentados por torres e os trajetos podem ser em trajetos planos ou com declive.
Fale connosco
Se desejar algum esclarecimento adicional sobre os nossos produtos, não hesite em contactar-nos!
 
808 200 064
Formulário
info@liftech.pt

Clientes de referência

Tem dúvidas?
Fale connosco